Entrevista com Kaah Araújo, autora do livro Ninfetâmina

segunda-feira, setembro 09, 2013


      A primeira vez que eu vi esse livro, eu me apaixonei por ele. Eu me senti apaixonada pelo nome. É errado julgar um livro pela capa, mas não vejo problema nenhum eu enxergar somente o nome, e Ninfetâmina, essa combinação de letras perfeitamente colocadas me seduziu. Eu entrei em contato com a Kaah pelo facebook, e ela foi super gentil comigo e disponibilizou o livro dela para mim em PDF (Muito obrigada, Kaah, eu fiquei muito feliz), para que eu lesse e em breve, teremos resenhas.

     Mas, enfim, eu comecei a ler o livro da Kaah Araújo assim que ela me respondeu e enviou o link. Eu fui lendo, e lendo e lendo, e eu me senti presa, não consegui parar. O livro dela é simplesmente mágico, envolvente e como escritora, cara, ela sabe muito bem como unir palavras e montar frases perfeitas. Mas vamos deixar um pouco os comentários de lado, se não vou perder toda a graça da resenha, e vamos ler a conversa que eu tive com a Kaah.

  Yara: Bom dia Kaah, é uma honra estar aqui com você e gostaria de agradecer sua gentileza comigo. Bom, vamos para as perguntas, de onde surgiu a sua vontade de escrever?
        Kaah Araújo: Olá Yara, o prazer é todo meu! Bem, a vontade de escrever já é bem antiga, eu escrevo desde pequena. Não saberia responder o motivo. Talvez seja porque sou muito detalhista. Eu escrevo porque gosto disso, gosto de compartilhar as minhas ideias com o público.

  Y: Ninfetâmina é sua primeira obra, certo? Mas antes disso, você já escrevia? Se sim, o que escrevia?
K: Certo. Bem, eu escrevi dois livros infantis para levar à escola. Era um concurso de melhor leitura. Eu nunca gostei de ler livros que já era do conhecimento dos meus colegas. Isso não era legal. Eu queria levar algo que eles não tinham conhecimento algum. Era uma estratégia para ganhar (risos).

 Y: Você gosta de ler? Qual seu tipo de livro favorito, e quais são esses livros que você ama?
K: Olha, para ser sincera eu leio muito pouco. Não porque eu não goste, mas pelo tempo. O meu “negócio” é escrever, essa é a minha paixão. Compartilhar o meu pequeno/grande “universo” com outras pessoas.

 Y:  Vamos falar sobre sua obra agora. De onde surgiu a ideia do Ninfetâmina? E por que esse nome?
K: Surgiu após eu ter assistido Lua Nova da série Crepúsculo. Eu me encantei pelo mundo criado por Stephenie Meyer. Acho que isso me encorajou, até porque eu já possuía a vontade de escrever um livro. Ninfetâmina vem de Ninfetamina, uma mistura de Ninfeta com Anfetamina, ou seja, uma garota jovem muito viciante. Era o termo certo para Annie/Stephany No livro é criada uma nota ressaltando a utilização do acento. Também inspirada na música da banda Cradle Of Filth; Nymphetamine.

Y:  Me conte - e para meus leitores - uma sinopse do seu livro?
DEPOIS DA MORTE DE SEU PAI, Stephany é obrigada a mudar-se para Morrisville, uma vila situada em Lamoille, Vermont, EUA. Ao desenrolar dos mistérios que começam nesse lugar, Stephany se verá traçada no caminho do romântico Izack Smonfort, do valente Sky Trewan e do irresistível Bryan Control, com quem viverá um amor perigoso. O quarteto amoroso traçado por sangue está formado outra vez.
  
 Y: Quanto tempo você levou para escrevê-lo?
Na verdade houveram duas versões diferentes de Ninfetâmina, contando com estas, foram em torno de 3/4 anos de obra. Mas contanto apenas essa versão, em torno de 2 anos (escrita e editoração)

 Y: Como foi o processo de publicação?
Mencionei em outras entrevistas que ser escritor brasileiro não é tarefa fácil, muito menos barata. Ou você se doa e corre atrás ou não faz nada – é duro, mas vale a pena tentar. Fiz orçamento com 3 editoras para a publicação da minha obra. Agora finalmente estou curtindo os meus livros físicos.

 Y: Qual a sua dica para as garotas e garotos que sonham em ser escritores?
Opa, conselho acima (risos), corra atrás, vale a pena – se tentar e doar. Não é barato – vou logo avisando, mas um dia alguém reconhece e todo o esforço será reconhecido!

Queria apenas finalizar agradecendo a Yara por essa oportunidade maravilhosa de estar aqui podendo falar um pouco do meu trabalho e do meu neném (Ninfetâmina). Espero que os leitores do blog possam conferir ele de pertinho e se deliciar com cada página!
Um grande beijo, sucesso!
Kaah Araújo

       È isso pessoal. Eu adorei a Kaah e estou amando ler o livro dela, realmente vale a pena. Eu queria muito agradecer ela pela tempo, dedicação para responder as perguntas, e ter me disponibilizado o PDF. Muito obrigada, Kaah, novamente. 
Para entrar em contato com ela, o Facebook dela está aqui - clique

Você também vai amar:

4 comentários

  1. ainda não conhecia esse livro! mais acho que e legal...

    www.karlagisella.com.br

    ResponderExcluir
  2. Yara, minha linda!
    que 10... seu blog é lindo!
    Obrigada pela entrevista! Adorei saber que você está curtindo Ninfetâmina ;)

    Thanks
    Kaah Araújo.

    ResponderExcluir
  3. Amei o post, não conhecia nem a kaah nem o livro ;(

    MEU CAPRICHO

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia a autora nem a obra! Achei estranho ela comentar que não se interessava por leitura e sim pela escrita, acho tão difícil isso acontecer! São duas coisas conectadas pra mim! E pelo o que ela falou na inspiração, parece ser uma inspiração muito forte pela saga crepúsculo mesmo, só aumentou um na jogada hahaha


    não sei se compraria pra ler! :)

    ResponderExcluir

Subscribe