Resenha de Prenda-me, Por favor de Catharina Ingelman

sexta-feira, janeiro 03, 2014



    Esse livro foi um presente da Editora Gutenberg, e eu fiquei muito feliz quando a Ana, da comunicação da editora, me fez tal proposta e me apresentou tal livros. Eu queria agradecer a editora, sobretudo, e nunca perder essa parceria  Bom, então vamos para a resenha.

A resenha

    Prenda-me, Por favor é um livro escrito pela escrita Catherina Ingelman-Sundberg, que nasceu e escreveu sua obra na Suécia; O título original é Kaffe med ran e publicado originalmente pela editora BokForlaget Forum. O livro conta a história de um grupo de velhinhos - Anna-greta, Snillet, Stina, Martha e Krattan - que, definitivamente, não estão satisfeitos com as vidas que levam no asilo Diamante. Logo, entra o significado do título da obra: Os velhinhos preferem viver em uma prisão - onde, por meio de um documentário, viram que os presos viviam em uma situação melhor do que a deles - do que viverem no asilo. Com esse ideal, o grupo começa a planejar crimes perfeitos e incrivelmente inteligentes, com isso nunca são descobertos. E eles, por mais que tentem, não consegue criar crimes "mais ou menos." e serem pegos pela polícia.



    O livro me prendeu de todas as maneiras possíveis, começando por sua forma de narrar única. A narração é feita em terceira pessoa, e em cada capítulo a escritora se foca em um lado diferente da história, mostrando o que está acontecendo, por exemplo, com os policiais que investigam os crimes sem pistas dos velhinhos. Essa jogada que a escritora teve nessa forma de narração é muito fixante, por que você, como leitor, fica cada vez mais instigado e curioso para saber se os velhinhos se darão bem ou se continuarão vivendo infelizes no asilo.

   Outra coisa que me surpreendeu no livro foi, principalmente, os velhinhos. Por se tratar de um grupo de idosos, logo vem o pensamento de que não entenderemos muito bem a proposta do livro ou que o livro será "parado." Mas, muito pelo contrário, esses velhinhos são completamente jovens e o livro retratou aquilo que os idosos mais possuem: A inteligencia da idade. Quando o grupo planeja os assaltos, eles pensam em cada coisa, e são completamente carismáticos. Eles desejam fazer uma revolução para que os idosos recebam seu espaço no Governo, e que o mesmo reconheça as pessoas dessa idade. Essa questão de fazer revolução e deles serem rebeldes me chamou muito a atenção; Eu enxerguei em cada um deles uma Katniss Everdeen mais velha; Sim, o livro me mostrou que mesmo o tempo ter passado muito, alguma coisa ainda pode ser feita.

    Eu nunca tinha lido um livro escrito além das línguas portuguesa ou inglesa, e isso da história se passar toda na Suécia foi uma experiência boa, apesar de eu não entender muitas coisas. Os personagens ás vezes comentavam algo sobre a cultura local, artistas famosos, a família real ou músicas que eu não entendia. Quando lemos um livro americano nós entendemos onde fica a Broadway, o que é o Halloween, porque já estamos mais acostumados, mas quando Prenda-me, Por favor comentou sobre como as cirurgias plásticas da princesa Vitória afetou os movimentos feministas eu não pude entender muito bem, mas de alguma forma esses pequenos fatos aumentaram o meu conhecimento geral.

    Em geral, o livro me agradou muito e eu recomendo para aqueles que gostam de livros policiais, porque o livro é escrito de uma maneira muito inteligente e é repleto de aflição e suspense; O livro é intenso, e em nenhum momento existem momentos de tranquilidade - é sempre ação, e coisas novas.

Nota para o livro: 10

Pontos marcantes: Personagens inovadores, narração diferenciada
e inteligencia da escrita.

Você também vai amar:

0 comentários

Subscribe