Resenha de Abandonado de Vinícius Pinheiro (Nacional)

terça-feira, maio 12, 2015



oooi pessoas e borrachas saltitantes (tenho quase certeza que um dia minha lista de inspirações para apelidos aleatórios vai acabar hausahsua Mas por enquanto, vou continuar :3) ; Como vocês estão? Espero que tenham gostado das mudanças do blog e que estejam gostado do novo ritmo daqui ♥ Continua a mesma a coisa, mas estamos expandindo mais o número de postagens para vocês terem cada vez mais informações do mundo literário nhaw ♥

hoje eu vim falar de um livro para vocês que foi lançamento de abril da editora Geração Editorial que é parceira aqui do blog ♥ Então, sem mais enrolações, delongas e palavras avulsas, vamos começar *-*

Abandonado - Vinícius Pinheiro



O livro Abandonado foi publicado em abril de 2015 pela editora Geração Editorial; O livro é um livro nacional, escrito pelo paulista e jornalista Vinícius Pinheiro. Abandonado não é sua estreia literária, ele já publicou o livro O roteirista em 2007 publicado pela Rocco e o ensaio Plínio Marcos - As crônicas que não têm voz, em 2002.

Abandonado narra a história de Alberto Franco, um jornalista mal sucedido que faz trabalhos nem um pouco interessantes e que foge completamente daquilo que ele queria para sua vida. O autor nos leva para uma graciosa - ou desastrosa - dança nos arredores de São Paulo, e nos mostra brutalmente como somos pequenos e insignificantes quando somos vistos por outros olhos que não são os nossos. Dessa forma, o livro mostra uma realidade dura e severa, com personagens reais, dando um tom de biografia a narração e ao livro.

A vida de Alberto Franco dá uma reviravolta quando ele recebe a proposta de escrever um roteiro, adaptando um livro para o cinema, e conhece a estonteante Clara Bernardes; Clara é dubladora e uma perfeita atriz - tanto profissionalmente quanto em sua própria vida, de uma forma que Alberto não sabe se ela é o que mostra ser, ou se aquilo é apenas mais uma de suas personagens. Alberto e Clara se envolvem, e esse é um relacionamento frio, sem emoção por parte de Clara e é como se fosse um jogo, onde apenas o sexo existe.

A narração continua contando a história do personagem principal - que também é o narrador do livro - enquanto ele trabalha escrevendo o roteiro proposto para o filme, acompanha as filmagens, se envolve com Clara e entra em milhares de declínios pessoais.

O livro é, essencialmente, filosófico, com palavras muito bem elaboradas e conectadas, com uma simetria textual impecável. O livro nos faz pensar como a vida profissional muitas vezes é complicada e como o amor pode facilmente virar um jogo de manipulação.

Na sinopse, tem uma frase incrível que define esse livro: "[O livro] Faz lembrar os versos de Fernando Pessoa em Poema em linha reta: “Ora, então são todos semideuses? Onde há gente neste mundo?” "



Eu simplesmente não tenho palavras para descrever esse livro para vocês. Abandonado é um livro que, do inicio ao fim,  te faz ficar com um nó na garganta, e é um livro que te faz ficar preso do início ao fim. Primeiramente, porque a narração do livro é incrível. É o tempo todo poética e me lembrou muito a forma de escrita do Machado de Assis - é de fato muito parecida e igualmente poética e bem pensada. E segundo, o narrador - Alberto Franco, nosso personagem principal - conversa com você durante a narração, mas não é com você diretamente. O livro todo é como se fosse uma carta de Alberto para um dos personagens e você vai indo percebendo isso durante a leitura; Em certas partes ele diz: "E eu vi você do outro lado da rua.", fazendo-nos pensar em quem "nós" somos ou em quem aquele personagem é, afinal.

Adorei o jeito único, sedutor e frio da personagem Clara Bernardes, e a forma como ela articula as palavras, como se ela estivesse apenas atuando dentro de um filme, e como ela brinca como Alberto. É um livro bem pesado, e não aconselho para menores de 16 anos; É um livro muito carregado com sexo implícito, embora poético, e cenas bem fortes. Já vou avisando: Esse livro não é nada bonitinho e nada romântico, como eu disse, lembra muito Machado de Assis e tem aquele clima pesado de Memórias póstumas.



Quando eu terminei de ler esse livro, eu respirei fundo, e sem exagero, engoli em seco. O final desse livro é surpreendente e a descoberta de quem é a pessoa com quem Alberto fala durante o livro todo é de tirar o fôlego.

É um livro que eu indico para os fãs de Machado de Assis e Marta Medeiros, e para aqueles que amam uma literatura bem escrita, com palavras bonitas mas não enfeitadas ♥

Então é isso pessoal, espero que tenham gostado da resenha :33

 Se inscrevam





Você também vai amar:

0 comentários



Subscribe