#39 Entre verbos: Apenas ficar

sexta-feira, julho 03, 2015

- | via Tumblr

E eu fiquei ali, apenas sentindo sua respiração, cada vez mais doce e cada segundo mais complementar. Aquele abraço familiar, não só por 365 dias e mais alguns 30, mas de décadas e séculos que passamos juntos, me envolvia quente e eu sabia, eu sei, que não teria lugar melhor para eu estar. Eu pensava várias coisas comigo mesma, enquanto sentia meu coração batendo cada vez mais compassado contra o peito; Como um relógio cruel, me lembrando que logo logo eu teria que ir um pouco mais pra longe, mas não completamente distante de você.

Porque você sabe, suavemente sempre soube, que não tem como nos distanciar. Nos reencontramos e continuaremos a nos reencontrar em cada tempo diferente que a terra passar. Podemos estar descalços, podemos estar em uma festa, podemos estar apenas olhando as estrelas, mas eu sempre terei essa certeza de que te reencontrar é um dos meus destinos, minha sina interminável.

Um dia eu ouvi uma música que dizia que a pessoa certa seria aquela que completasse suas frases e faria com que tudo fizesse sentido; "Quando você sabe, você sabe", a música dizia e eu sei. "Ele será o cara que completará suas frases", ela continuava e eu esperava pelo cara que pudesse completar as minhas. E eu encontrei. E como se não bastasse apenas completar minhas frases, você completa as mais simples palavras e meus mais simples gestos e minhas tosses. As minhas loucuras. Os meus momentos de lucidez. E a minha vida. Seria demais se eu dissesse que você ME completa? Mas é essa a verdade - como se você não soubesse - e a verdade que sempre vai estar aqui.

E eu tive que sair dali, sair dos seus braços, sair de casa. E eu não gosto de sair de casa, quem é que gostaria de sair depois de ter a ousadia de morar ali? Eu não quis, mas eu tive e ficou meio vazio, tem uma hora exatamente. E você sabe, um dia eu não vou mais precisar sair. E teremos uma casa só pra nós, pra eu poder finalmente morar em paz no lugar que, desde quando eu nasci, foi meu lar.

Voltar para o lugar que eu sempre pertenci. Voltar para o lugar que me tiraram, mas você me conhece, selvagem, indomável, completamente louca, e bom, eu fugiria, até encontrar de novo. Até sentir de novo. E eu senti. E eu voltei. Você voltou. Nós. Ninguém nos separa. Nem nada.

Você também vai amar:

1 comentários

  1. Que texto sensacional! aaaah os abraços de quem amamos *--*
    Super beijo,fica com Deus.

    http://pausachique.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir



Subscribe