Resenha de Dead Island de Mark Morris

segunda-feira, julho 20, 2015



oooi pessoas e óculoses (plural de óculos na minha cabeça huahsuas') do Harry Poter ♥ Hoje temos mais uma resenha e foi de um livro que vocês do instagram me perguntaram demais como era, se eu tava gostando, se era tãao bom assim quanto eu falava, e hoje vamos falar sobre ele, yay! Então sem mais enrolações, vamos para a nossa resenha *3*


Dead Island de Mark Morris
Dead Island é baseada no game de mesmo nome, e a versão literária da história foi escrita por Mark Morris. O livro se trata de um lançamento do mês de junho da editora Galera Record e só de ver a capa (além de saber de que era baseado em um jogo) já foi o suficiente para eu solicitar esse livro para resenha.

O livro conta a história de um grupo de pessoas que, não tão aleatoriamente quanto elas pensam que foi, ganharam viagens para a maravilhosa ilha de Banoi, que é nada mais, nada menos, que um pedacinho do paraíso na terra. As férias em Banoi tem tudo para ser perfeita; O livro começa fazendo com que nós conheçamos alguns dos personagens principais: Sam, Logan e Purna ♥ Logo no avião eles se conhecem, começam a conversar e contam um pouco de suas histórias.



Sam é um rapper que fez muito sucesso há alguns anos atrás, mas agora não consegue escrever nada bom. Logan era um jogador de futebol que após se envolver num escândalo perde sua carreira. Purna uma policial que foi afastada do cargo, depois de ter feito justiça pelas próprias mãos.

Logo nesses primeiros momentos, já sentimos afeição por esses personagens que se conhecem por acaso e que viverão um pesadelo juntos.; Quando o grupo chega no hotel e na ilha de Banoi, eles são atendidos por Xian Mei - uma soldada chinesa que está fazendo uma missão em Banoi e fingindo ser atendente.

Todo curso da história e das férias muda quando, na noite do mesmo dia, uma mulher que parece estar com raiva, ataca Xian Mei no banheiro, e depois sai mordendo todo mundo. Nem preciso falar que horas depois todos são zumbis, certo? haha' Mas por algum motivo extraordinário Purna, Logan, Sam e Xian Mei não são infectados mesmo sendo mordidos pelos zumbis e ficam ainda mais curiosos quando recebem um telefone de uma pessoa que está disposto de fazer tudo para tirar o grupo da ilha.



O livro é muito instigante. A história te faz ficar constantemente curioso sobre o que vai acontecer na história, e só esse enigma de porque o grupo não é infectado pelos zumbis já foi o suficiente para me fazer devorar o livro em poucos dias haha'

Outra coisa que amei no livro foi as personagem femininas e as personalidades delas ♥ A Purna e a Xian Mei são incrível e são bem fortes, e feministas (apesar de eu perceber que o conceito de feminismo nesse livro é bem limitado, do tipo que as duas personagens se parecem muito nas ações e tem hora que parecem até a mesma pessoa, mas isso é só uma análise pequenininha minha e que não fez diferença nenhuma no quanto as duas são perfeitas) ♥ Eu me identifiquei muuuito com as duas. Ambas são fortes, não precisam dos meninos para se defender -e tem hora que são elas que defendem eles haha ♥ Tem uma cena que o Logan vai tentar paquerar a Purna e ela torce o braço dele, eu adorei haha



A parte dos zumbis nesse livro é perfeita. A explicação do porque ter acontecido aquele pequeno, mas terrível, apocalipse zumbi em Banoi, é surpreendente e as cenas dos zumbis dão muito medo, e certas partes dão repulsas. Em certa parte, o narrador narra um zumbi andando e tropeçando nas próprias tripas que estão pulando pra fora - só de imaginar a cena já dá aquela coisa, né? huashaus'

É um livro maravilhoso. Na minha opinião todo amante de zumbis, deve ler ele e dar uma jogadinha no jogo (já estou pensando eu gravar gameplay para o canal ♥) e aqueles que amam o estilo aventura e ação vão amar esse livro. É um livro bem forte, que trata de estupro, violência e muuita morte, mas ele te deixa constantemente curioso e aflito, e isso faz dele um livro incrívelmente bom e que vale a leitura.

Então é isso pessoal ♥

Beijos e até mais


Se inscrevam



Você também vai amar:

0 comentários



Subscribe