RESENHA: Fragmentados de Neal Shusterman

sexta-feira, agosto 21, 2015


oooi pessoas e fanáticos por distopias ♥ Hoje tem mais uma resenha para vocês, de um título incrível na editora Novo Conceito (!) O livro se trata de uma distopia, e que logo pela capa e pela aquela frase ali na capa, eu sabia que eu tinha que ler esse livro. Entãao, sem mais enrolação vamos conhecer esse livro que tem tudo (tudo mesmo) pra ser a distopia do ano (!)

 Título:  Fragmentados
 Autor(a): Neal Shsterman

 Gêneros: Distopia

 Editora: Novo Conceito
 Lançamento: 2015
 Páginas: 336 páginas 
 Nota:      

Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria . Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos.



TAGS LITERÁRIAS: 
      

O livro Fragmentados foi escrito pelo norte-americano Neal Shusterman, que já é conhecido por ser roteirista de séries de televisão e por outros livros (que ainda não foram publicado no Brasil); Fragmentados é um livro ambientado em um mundo pós-apocalíptico, onde depois da guerra foi criado a Lei da Vida. A Lei da Vida foi criada para beneficiar os dois lados da guerra (não foi contar como aconteceu a guerra, porque seria um spoiler grandinho haushaus ♥), mas essa Lei é completamente sombria. A Lei da Vida diz que as mães não podem fazer nada com seus bebês indesejados (tipo abortar) até a idade de 13 anos, só que depois do 13 anos da criança, a mãe está livre para se livrar do filho, e essa técnica chama Fragmentação.


Os pais que não desejam os filhos, se livram deles aos 13 anos na Fragmentação que é uma espécie de aborto adulto. Mas, ahn Mai, como assim? Na Fragmentação, a criança é 'doada' para que tooodo o seu corpo seja fragmentado para as partes sejam doadas. Eles retiram as pernas, os braços, o cabelo, olhos, Órgãos e até o cerebro, para que cada parte seja doada. É o mesmo processo da doação de órgãos, mas a criança ainda está viva e os pais apenas querem se livrar delas. Tem uma frase no Governo do livro que diz "Se pessoas tivessem doado mais orgãos no passado, não existiria a Fragmentação". 



O livro, então, começa a narrar a história de Connor e como ele descobriu os documentos assinados em sua casa que o mandariam para a Fragmentação. Ele fica completamente indignado e sabe que sua única alternativa é fugir de casa e do Estado, e é isso que ele faz. Mas o governo é extremamente rígido com aquelas fragmentários que fogem, e logo começam uma busca imediata por Connor. Connor foge, até que esbarra com Risa, uma garota que também estava indo para a fragmentação e eles começam uma dupla para fugir. Na mesma noite, eles se esbarram com um garoto religioso que iria para a fragmentação como forma de dízimo e o sequestram, para salvá-lo da fragmentação. (Dízimo no livro são jovens que desde criança são marcadas pela igreja e por seus pais  religiosos para serem fragmentadas. Desde que elas nascem elas sabem seu destino e a fragmentação para eles é uma espécie de honra e de ajudar os outros. Meio doentio demais :c mas é esse o país pós-apocaliptico do livro)

Os três então, fogem em busca da sobrevivência. Eles tem que sobreviver e fugir até os 18 anos, ou seja, até atingirem a maioridade, e então, estão livres de serem fragmentados. No meio do caminho eles encontram uma ajuda preciosa, mas que pode mudar todo o curso da vida dos três.



O livro é simplesmente a melhor distopia que eu li esse ano (!) Sinceramente, o livro supera um pouco cada distopia que eu já li até hoje. Cada coisa no livro está ali por um motivo, e coisas que você lê no primeiro capítulo, se enrolam e fazem completamente sentido no final. Em cada capítulo, vemos sob a perspectiva de um personagem diferente, por meio de um narrador em 3º pessoa. Isso faz com que vejamos várias perspectivas, além das perspectivas dos vilões ou daqueles que pensamos ser os vilões.

Eu não conseguia parar de ler esse livro. O mundo distópico criado é completamente diferente de tudo que vimos, e a curiosidade de saber como aquilo funciona faz com que a gente não pare de ler um segundo.



Uma das cenas mais tristes e que apertou o meu coração foi quando narra a vida de um menino que recebeu um pedaço do cerebro de um jovem fragmentado. Só que essa parte do cerebro dele tem mémorias próprias e os pensamentos do garoto morto. Deu um nó na garganta ver o menino pensando e pedindo para os pais não ser fragmentado, mas ele já estava morto a muito tempo ;C Outra parte horrível foi a cena de uma fragmentação. Não vou contar qual personagem vai para a fragmentação (ahusahsua) Mas é completamente chocante vermos o narrador narrando os procedimentos e eles tirando parte por parte do jovem. Sério, foi muito triste.

No geral, o livro é incrível! E se você ama distopias LEIA ESSE LIVRO AGORA (!) Sério mesmo, você vai amar cada partezinha e vai querer que ele nunca acabe ou acabe de pressa para você descobrir tudo.

 ADQUIRA

COMPRE AQUI | BAIXE O 1º CAP.  




Se inscrevam






Você também vai amar:

2 comentários

  1. Meu Deus, que livro!!! Amo distopias e essa é muito interessante, mas por um lado parece que tem um pouquinho de terror por causa das fragmentações, mas mesmo assim fiquei curiosa.
    Beijinhos
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir



Subscribe