RESENHA: Espada de Vidro [A RAINHA VERMELHA #2], de Victoria Aveyard

domingo, fevereiro 19, 2017

Desculpe, mas é inevitável que esta resenha não tenha spoilers (tem spoiler de graça na sinopse!) pra quem não leu o volume anterior, então acho melhor você ler as resenhas depois que terminar o primeiro volume. *Resenha de A Rainha Vermelha aqui*
🚨 [CONTÉM SPOILERS] 🚨




 Título: Espada de Vidro
 Autor(a): Victoria Aveyard
 Gênero(s): Fantasia, Distopia
 Editora: Seguinte
 Lançamento: 2016
 Páginas: 496 páginas
 Nota:     
O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar. Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.

TAGS LITERÁRIAS: 
"Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar."
O livro começa exatamente de onde o outro terminou (o que é bom pra quem acabou de terminar o primeiro, mas ruim pra quem já leu o outro a um tempo)Mare e Cal foram resgatados pela Guarda Escarlate e agora estão fugindo de Maven, que depois de ter executado seu plano mirabolante se proclamou Rei. Agora os dois são fugitivos e tem seus rostos estampados pra todo o reino, declarando que Mare é uma anomalia vermelha com poderes prateados e que Cal matou seu próprio pai e Rei - o que nós sabemos que não é totalmente verdade -, Tiberias VI. O que o reino não sabe é que existem outros vermelhos como a garota.
Julian, tio de Cal e amigo/professor de Mare, fez uma pesquisa por todo o reino e descobriu os apelidados sanguenovos, eles não só são vermelhos com poderes como são vermelhos com poderes maiores que o dos próprios prateados! A lista com estes nomes foi entrega à garotinha elétrica e ela precisa achá-los, assim as chances de derrotar o Rei serão ainda maiores. Mas ele sabe da lista, e sabe exatamente onde encontrá-los.

Mare e Cal - que não pode se juntar totalmente à causa e muito menos aos prateados -, juntamente com um pequeno grupo da GE comandados por Diana Farley, sairão em uma busca incessante para encontrar e reunir aqueles que são como ela antes do Rei, que irá fazer de tudo para pegar os dois fugitivos e destruir a Guarda Escarlate. E nós acompanharemos durante todo o livro a busca por estes sanguenovos.
Então vamos recapitular: 1) eles precisam encontrar um novo esconderijo seguro; 2) conseguir salvar o maior número de sanguenovos que conseguirem (antes de Maven); 3) encontrar uma forma de derrotar Maven e sua maléfica mãe, Elara; 4) consequentemente, trazer igualdade no meio dos vermelhos e prateados; 5) ficarem vivos.
Neste volume terá menos romance que no anterior (que já era pouco também), e terá foco nos sanguenovos e nesta revolução. Conheceremos um pouco mais sobre a família de Mare e sobre a GE, além de que descobriremos uma nova Mareena, junto com ela mesma.

Não falei muito sobre o livro porque ele é, basicamente, tudo isto (só que com muita ação!)
Eu estava morrendo de medo dessa leitura, já que todos que eu perguntava se gostaram do livro me respondiam com um não ou um mais ou menos, então eu precisei de um mês (vejam que era pra esta resenha sair beeem antes) e um pouco mais pra digerir toda a leitura e decidir se eu gostei ou não.
E eu decidi que:
Este livro foi um dos poucos que me deixou TOTALMENTE SEM CHÃO!!. A autora superou todas as minhas expectativas e ainda fez o que nenhum leitor esperava (acho que é por esta razão que quase ninguém gostou)!! Este livro é daqueles que ninguém imagina o que pode acontecer no final (a não ser que você seja daqueles agentes do CSI hahaha!), você lê o livro todo imaginando que no próximo capítulo irá acontecer fato A, mas aí você continua a leitura e acontece fato K (está longe do A, viu?), e então você já não sabe mais o que pode acontecer e só imagina que vai dar merda (o que de fato acontece), e então você termina o livro literalmente embasbacado, porque aconteceu tudo diferente do que você imaginou!! Foi por isso que precisei de tanto tempo.

Assim que terminei o livro eu tinha, definitivamente, odiado o livro, mas então os dias foram passando e eu continuei lembrando e analisando a leitura. Foi então que percebi que nós, leitores, estamos acostumados com o clichê e o final feliz (claro que torcemos por isso!), mas nem na vida real é assim - nem sempre, e todos sabemos disso por experiência própria -, então acho que um livro "mais real" estava precisando aparecer mesmo. Se formos pensar bem (nós que lemos Espada de Vidro) esse é o melhor desfecho que poderia acontecer pra o livro não ficar meio bosta (sorry pelas palavras hehe), e pra série na verdade, não ser clichê (eu amo um clichê, mas em romances), a estória/autora foi bem realista com os acontecimentos... e me fez chorar e ficar com muita raiva. Nós precisamos estar mais abertos à livros realistas e com um possível "final não-feliz". Estou muito ansiosa para o próximo livro e espero que ao menos um dos personagens principais tenha um final legal - pra não dizer feliz, porque acho que eles nunca terão um de verdade com todo este enorme peso nas costas (e que peso hein!). E espero que o filme saia logo e que seja bem parecido com o livro 😉

Espero que tenham gostado da resenha e entendido o que eu tentei passar.
Deixem nos comentários o que acharam do livro 😄

Você também vai amar:

0 comentários

Subscribe